RESTAURANDO A GLORIA DE DEUS

Posted by Luiz Carlos Dalbem on 13:24

Restaurando  a Glória de Deus em nossa vida      

Introdução : leia   Ageu 2. 1-9

Para entendermos esta passagem, necessário se faz voltarmos alguns séculos, quando Deus liberta o seu povo da escravidão no Egito, foi logo após esse período sombrio que o povo de Deus encontrava-se no deserto, e Deus lhes proporciona através de Moisés aquele o qual seria o precursor do Templo, ou seja, o Tabernáculo, a tenda construída pelos israelitas com o intuito de adorar a Deus.
           
Foi no reinado de Salomão, filho de Davi, que o Templo foi construído, demorando cerca de 11 anos para ficar pronto e ser dedicado a Deus, a beleza do templo era tanta que servia de referencial para as demais nações; hoje historiadores avaliam o templo em cerca de $ 85 bilhões de dólares.
           
O Templo foi construído para que o povo tivesse um local de adoração a Jeová na cidade de Jerusalém ( era um símbolo da presença de Deus com o povo).  Em 586 ªC Deus permitiu que Nabucodonosor invadisse Jerusalém com seu exército e destruísse Jerusalém e também o Templo de Salomão, símbolo da presença de Deus (Deus permitiu que isso acontecesse devido ao pecado do povo, que o honrava com seus lábios, mas o seu coração estava longe do Deus Criador). 

Depois de o povo Ter sido levado cativo, terminado o tempo estabelecido por Deus (70 anos) o império Persa invade Babilônia e a conquista por intermédio de Ciro, que por sua vez é benevolente com os judeus, concedendo que estes retornem para a Palestina e iniciem a reconstrução do Templo, o que em principio foi negligenciado pelo povo. 

1. Durante o retorno do povo judeu do exílio babilônico (cerca de 50.000), estes encontraram várias dificuldades, dentre as quais podemos destacar:
        
 1.a A cidade estava devastada (os judeus estavam sem pátria, estavam sem a sua identidade como nação, sem respeito); Representa uma pessoa sem Deus, toda destruída, bem como os que não estão no propósito de Deus.
       
  1.a.a Os muros da cidade estavam derribados (a cidade encontrava-se vulnerável ante os inimigos, sem qualquer proteção);Muros representam proteção. Muitas vezes estamos cheio de brechas em nossa vida espiritual, dando facilidade para o inimigo entrar e tomar posse.
        
 1.a.b O templo estava destruído (o símbolo de que aquela nação possuía um Deus estava em ruínas, as nações zombavam dos judeus, pois, segundo o costume, sem templo, sem Deus, sem lugar para adorar); Hoje somos o templo de Deus, será que não esta destruído pela nossa rebeldia e desobediência?

1.a.b.a  Ageu 2.3 nos mostra que o povo estava desanimado, triste, cabisbaixo, pois a glória, o esplendor, a magnitude, a beleza  do 1º templo já não existia, o que era comprovado por aqueles que tinham conhecido o templo de Salomão;

1.a.b.b O povo lamentava sua sorte, e tinham em mente o voltar para a babilônia, pois lá não tinham falta de nada (cuidado com o que você diz,  você não precisa voltar atrás, continue em frente, não desanime);o MUNDO PODE NOS ATRAIR, POSIÇÃO SOCIAL, ORGULHO E VAIDADE PORQUE PROSPERAMOS. UMA PESSOA DESPREPARADA EM SUAS EMOÇÕES, PODEM SE ENVAIDESSER DIANTE DE QUALQUER CARGO QUE RECEBE NA IGREJA. MUITOS ESTÃO SOBRE TAMANCOS TENTANDO SER O MELHOR, ESQUECENDO QUE ISTO É ENGODO DO DIABO.
        
1.b Deus usou Ageu para encorajar o povo sob a liderança de Zorobabel a se esforçarem e trabalharem na construção do templo, pois Deus estava com eles e o seu Espírito também estava;

 1.b.a O povo devia obedecer e ter coragem, porque a glória do segundo templo, disse Deus seria maior do que a do primeiro (isso se cumpriu em Jesus Cristo), o seu ministério deu-se no 2º templo

1.b.b pastores tem que pregar mais sobre guerra espiritual, o que fizemos no final do ano. Precisamos descobrir que as falhas que cometemos que parecem não ter valor diante de Deus, são essas que atrapalham a igreja e o ministério. Pecado é pecado e não tem tamanho, seja grande ou pequeno.

O humanismo não pode ser aceito, pois humanismo  reflete o que achamos e não o que diz a PALAVRA DE DEUS E AS NORMAS PRÉ ESTABELECIDAS NO MINISTERIO, E OU NA IGREJA. Princípios quebrados trazem maldição.

Vamos orar e jejuar no mínimo uma vez por semana, pelas nossas vidas, igreja e ministério. A sinceridade na entrega dos dízimos fecha as portas da miséria, um espírito que age na vida dos que possuem riqueza, ou bens. A pobreza afeta aqueles que não crêem no melhor de Deus, preferem continuar acreditando que Deus os fez assim. Se estiver morando debaixo da ponte, tem coragem de agradecer pelo estado em que se encontram e dizem que Deus quer assim. Sendo assim, precisamos compreender que precisamos de restauração.

       


Reações: